Bio

Antonieta Martinho

Natural de Kalima então Reino da Bélgica.
Após uma carreira na área das ciências. Ingressei no curso de licenciatura em Pintura, da FBAUL, 2009 a 2014, e em simultâneo frequentei o Curso Prático de Pintura da SNBA, 2012 a 2014.
Membro dos órgãos sociais da SNBA-Biénio 2015/16.
Vivo e trabalho em Lisboa. Dedico-me exclusivamente à arte desde a minha formação artística académica, em 2009.
Realizei a primeira exposição individual em 2016, assumindo uma escolha, em que a componente abstratizante tem um significado próprio na linguagem que utilizo.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

2021 – “Antonieta Martinho” – Circle Arts
2020 – “BEYOND THE PLASTIC” – Casino Lisboa
2019 – “THE LINE WALK” – Câmara Municipal de Setúbal
2019 – “CHANGING TRANSPARENCY” – DGAJ, Lisboa
2019 – “STILLNESS…”, Galeria de Arte Moderna, S.N.B.A., Lisboa
2018 – “recoding-recodificar”, FMP, Oeiras
2017- “CHANGING DIALOG” – C.M. de Lisboa
2016 – “desconstrução” Galeria de Arte Moderna, S.N.B.A., Lisboa

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

Participo regularmente em várias coletivas, bienais e concursos (seleção)
2021
– X Bienal de Coruche
– XXII Bienal – Avante
– Emerging Scene – Dubai (short list)
– X Bienal Pintura da Moita
– “Black & White” Art Show
– 4ª Bienal Internacional de Arte Gaia
2020
– Portuguese Emerging Art, da EMERGE – (short list)
2019
– Let me tell about … >>, MAED do Distrito de Setúbal
– “À Descoberta do Mestre” – Novos Caminhos, Sardoal
– XXI Bienal – AVANTE 2018
– IX Bienal da Moita
2016
– ART-MAP, Ponte de Lima
– Bocage, Visto e Interpretado pela Arte Contemporânea, Galeria do 11, Setúbal
– X Bienal “Salão das Artes”, Vidigueira
2015
– 6 ª edição do Prémio de Pintura Abel Manta, Museu Municipal de Arte Moderna, Gouveia
2014
– Fundação Inatel, Galeria da Associação Portuguesa de Escultura e Pintura, Lisboa
– «Arte Hoje», SNBA., Lisboa

PRÉMIOS

2022 – Prémio de Mérito – Grey Cub Gallery
2021 – Distinção Bienal de Coruche Percursos com Arte
– Menção Honrosa Fotografia Digital – Art Room Gallery
– Menção Honrosa 3D – Fusion Art
– Menção Honrosa Pintura – Grey Cub Gallery
2018 – Menção Honrosa Pintura – S.N.B.A.
– 3 º Prémio de Fotografia – OM
2016 – Menção Honrosa Pintura – ART-MAP
2014 – Menção Honrosa Fotografia – OM

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

2018 -ParkArtes, Casino de Lisboa

PUBLICAÇÕES

2021 – Respirar Arte com Sustentabilidade – Bienal de Coruche
2020 – PEA 2020
2017 – Art Exhibition, moving curatorial project

COLEÇÕES

Museu Abel Manta; C.P. Refugiados; C. M. Lisboa; Fundação Marquês de Pombal; DGAJ;  Casino Lisboa.
Particulares – Espanha, Angola e Portugal

ESCREVER PORQUÊ?

Porquê escrever sobre o meu trabalho?...
Realmente só o criador sabe, o como e o porquê das suas obras e estas quando acabadas são em si mesmas parte dele próprio. Cada trabalho é assim a expressão do eu consciente e inconsciente de quem o cria.

Desde que me lembro que quis ser pintora.
Frequentei várias escolas de arte, desenvolvi os conteúdos técnicos e as abordagens teóricas necessárias, para ir afirmando uma opção que me levaria a um âmbito plástico próprio.

Em 2014 a SNBA criou o Atelier Experimental e a partir desse ano, comecei a dedicar-me à pesquisa das “coisas”; investigando a plasticidade das matérias e dos materiais do século XXI, fui adquirindo novas ideias e conceitos face à construção da imagem contemporânea.

Na minha busca, surgiu a escolha de um novo material de suporte.
Através da compreensão e experimentação das suas principais características (físicas e químicas), transparência e brilho, bem como do desenvolvimento de novas técnicas de pintura, criei e explorei a relação entre os principais elementos; cor, forma e vazio.

A grande maleabilidade deste material permitiu-me também, ultrapassar a barreira do bidimensional, através do recorte, criando volume e profundidade, que até aí ainda não tinha desenvolvido, possibilitando a vertente tridimensional.

No meu processo criativo, manifesto-me através da forma que perceciono do mundo naquele momento. A evolução do meu trabalho, a constante necessidade de inovar e criar levam-me a procurar novos meios plásticos de expressão para a abordagem da ideia de paisagem, como uma imagem personalizada, abstrata, muitas vezes caótica ou onírica.